terça-feira, 4 de março de 2008

Horários - Calourada DCE 2008 (dia 06/03)‏



(Foto: divulgação Seven)

Escala de Horários - dia 06/03


17h00 – Teatro
17h30 – Radiollas
18h00 – Camels
18h30 – Sapo Verde
19h00 – Diego de Moraes e O Sindicato
19h30 – Seven
20h00 – Os Novos Ébanos
21h00 – Bang Bang Babies


Lançamento do Festival Matéria-Prima – Calourada DCE-UFG 2008

O lançamento do 1º Festival Matéria-Prima, organizado por estagiários da Rádio Universitária da Universidade Federal de Goiás (UFG), ocorre no dia seis de março (quinta-feira), dentro da programação da Calourada 2008, realizada pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE). Os shows funcionam como prévia do festival e começam a partir das 17 horas, no Campus Samambaia (Campus II). A entrada é franca.

Confira a seguir as atrações do lançamento da primeira edição do Festival Matéria-Prima:

- Radiollas
- Banda Camels
- Sapo Verde
- Diego de Moraes e O Sindicato
- Seven
- Os Novos Ébanos
- Bang Bang Babies

O 1º Festival Matéria-Prima acontece de 26 a 29 de março de 2008, com o objetivo de promover novos cantores e bandas de estudantes da UFG. O evento é realizado pelo selo Overture Rock e por estagiários da Rádio Universitária 870 AM, sob a orientação da professora Riva Kran. Nos quatro dias de programação, estão previstos debates sobre música e jornalismo, no auditório da 870 AM, e apresentações de MPB, rock e samba, com entrada franca, no Centro Cultural Martim Cererê.

A primeira edição do festival tem o patrocínio da Coca Cola - Refrescos Bandeirantes e Microcamp Internacional e apoio da Agência Goiana de Comunicação (AGECOM), Agência Goiana de Cultura Pedro Ludovico Teixeira (AGEPEL), Agência Bola Oito, DCE-UFG, Magnífica Mundi, Brasil Central Music (projeto do Sebrae Goiás), Ambiente Skate Shop, Hocus Pocus, Reis Peças, Metalplan e dos selos Monstro Discos, Fósforo Cultural e Maquinária Produtora de Sons. Mais informações no site oficial www.festivalmateriaprima.com.br e no site da Rádio Universitária, www.radio.ufg.br.

A seguir, detalhes de cada atração do dia seis de março. As fotos estão em anexo.

Radiollas

O Radiollas tenta construir carreira sólida, marcada pelo mais puro rock'n'roll. Tudo começou em março de 2006, quando Rafael Pansa, Thiago Moraes e André Luiz resolveram unir seus dotes musicais para formar uma banda com um sonho até pequeno: ser rock star. E não deu outra. No início, o nome desse grupo era simplesmente Rockstars Don't Need a Name.

O Radiollas já realizou vários shows, como a participação no concurso TacabocanoCD de 2006, o mesmo que revelou Diego de Moraes. O grupo conquistou, logo no show de estréia, o terceiro lugar. Em junho do ano passado, a banda produziu sua primeira demo, parcialmente disponibilizada no portal MySpace. Quem estiver no Martim Cererê no dia 29 de março, vai descobrir que se antes rockstars não precisavam de nome, agora eles têm um: Radiollas.

Contato: Rafael Pansa – rafaeldacostacampos@hotmail.com / (62) 3095-3675

Camels
O estilo da banda Camels traz o melhor das várias vertentes do rock'n'roll, com o objetivo de priorizar o "feeling" existente nas músicas. Por meio do vocal e dos back vocals bem trabalhados, os integrantes da banda buscam um efeito diferente dentro do rock. O grupo é formado por Cauhê (teclado e back vocal), Luis (contra-baixo e back vocal), Romeu (guitarra e vocal), Waltim (guitarra) e Rafael (bateria). As influências da banda vão desde o mais clássico ao mais progressivo do gênero rock, como Pink Floyd, Guns N' Roses, Duran Duran, A-ha, Kiss, U2, entre outras.

Os roqueiros começaram com covers, mas hoje priorizam as próprias canções. Can't Stop The Music, por exemplo, foi uma música muito bem trabalhada, que sofreu diversas alterações ao longo dos ensaios, mas nunca perdeu seu estilo progressivo pesado, com riffs de teclado e de guitarra que não se perdem com a bateria marcando o tempo com peso. Agora, eles planejam reunir suas principais canções no primeiro disco da banda, intitulado The Dreamland.

Contato: Luis Felipe – luis_mason@yahoo.com.br / (62) 8115-2588

Sapo Verde

Com raízes no rock e na música negra norte-americana e brasileira, a banda Sapo Verde vai além do clichê sexo, drogas e rock'n'roll. Os riffs de peso se alternam com a irreverência do rock nacional dos anos 70, sempre com uma pitada da batida do funk e da malandragem do samba. As letras, em português, retratam todas as questões fundamentais do mundo do rock... Uma das primeiras gravações profissionais da banda, a música De pé na Estrada foi incluída na coletânea Sofun Hits, lançada no ano passado e que reuniu 19 bandas do cenário independente brasileiro.

Em breve, a banda volta ao estúdio para gravar outra música, batizada de Preguiçoso. A Sapo Verde é formada pelo guitarrista André Hiromi, pelos vocalistas Rodrigo Invernizzi e Gustavo Martins (que também é baixista), pelo tecladista Kunihi Suga e pelo baterista Caio Henrique.

Contato: Gustavo Martins – gustavocrm@hotmail.com / (62) 8487-2581

Diego de Moraes e O Sindicato

Diego de Moraes é uma das grandes sensações de nossa música nos últimos tempos. O cantor lançou o EP Reticências... em 2007, mas já tem composições prontas para um próximo trabalho. No início da carreira, Diego tocou meia lua na Igreja, quando tinha mais ou menos 13 anos. Em 2001, começou a tocar bateria em bandas de Senador Canedo, sua cidade natal. Primeiro, na Idiotas Superiores e depois na banda Nóia Catódica. Ele começou a ficar mais conhecido depois de tirar o primeiro lugar no concurso TacabocanoCD, evento organizado pela Fósforo Records. Como prêmio, Diego pôde gravar Reticências....

Em outubro de 2007, veio a consagração definitiva, quando Diego de Moraes venceu o concurso No Capricho, evento que aconteceu em São Paulo, promovido pela revista Capricho, da Editora Abril. Como prêmio, 12 horas de gravação no estúdio da Trama. Em novembro do mesmo ano, Diego também venceu a seletiva da TramaVirtual, quando ficou entre dez finalistas, de centenas de inscritos. No concurso, três artistas escolhidos pelo público tocariam no 13º Goiânia Noise Festival. Diego foi um dos destaques do primeiro dia, e chamou a atenção dos produtores musicais de outros estados.

Para a primeira edição do Festival Matéria-Prima, Diego já se apresenta com a banda de nome novo: O Sindicato. O grupo é formado por Danilo Teles (guitarra), Aderson Maia (contrabaixo e sintetizador), Gabriel Cruz (percussão) e Eduardo Kolody (guitarra, violão e viola). Diego conta que ouve Beatles, Tom Zé, Bob Dylan, Mutantes, Júpiter Maçã e muitos outros, mas prefere não apontar influências musicais.

Contato: Diego de Moraes – diego_leigo@hotmail.com / (62) 9615-6508

Seven
Rock instrumental psicodélico do século XXI. Abusando do experimentalismo, o Seven é uma das revelações da música instrumental brasileira, sempre surpreendendo com improvisações concisas, que exploram sua vasta fusão de sonoridades. A banda está lançando seu primeiro álbum, que virá com uma proposta original e interativa. O som é criativo e destinado para públicos insanos.

O rock instrumental psicodélico do Seven já tem lugar de destaque em Goiânia. A banda também é referência por aqui quando o assunto é experimentação. O grupo já se apresentou nos principais festivais do estado, com destaque para o elogiado show na décima terceira edição do Goiânia Noise Festival, no ano passado.

Contato: Eduardo Kolody – edukolody@gmail.com / (62) 9932-7873 (Aderson)

Os Novos Ébanos

O grupo Novos Ébanos surgiu a partir da necessidade sentida pelo jovem Lucas Ceccato em resgatar e repassar conhecimentos da música folclórica, transmitidos pelo seu pai Nilo Amaro (Moisés Cardoso Neves), renome na música brasileira. Nilo Amaro e Seus Cantores de Ébano, como era chamado o grupo sessentista, introduziu a versão brasileira do spirituals, canto afro religioso dos negros americanos (que deu origem ao blue e ao jazz). Foi, também, precursor da música gospel no Brasil. O repertório do grupo, marcado pela forte presença de clássicos da música popular brasileira, abrangia desde temas folclóricos até sambas, sambas canções, toadas e outros gêneros.

A convite de Lucas, outros amantes e estudiosos da música, como Kaloni, Rodrigo, Thâmile, Wellington, Melina, Fernando e Romildo, hoje fazem parceria para dar continuidade ao projeto de levar às pessoas simplicidade, pureza, amor à natureza, sensibilizando-as, de forma genuína, através da música. Sabendo que cantar a história é cantar o sonho perpetuado nas gerações, composições como Uirapuru, Leva eu sodade, Minha graúna, Dorinha, Vaqueiro previnido, Boa noite e Nobody knows the touble I've seen foram abrigadas pelo projeto "Sonho que se canta junto". As vozes, instrumentos predominantes na execução, são acompanhadas por violão, baixo, percussão, trompete e outros instrumentos.

Contato: Kaloni – novosebanos@hotmail.com / (62) 8151-1735

Bang Bang Babies

Bang Bang Babies é uma das grandes revelações da cena de Goiânia. Formada em meados de 2005, a banda já conquistou um bom público e vem sendo requisitada para tocar em vários festivais da cidade. Fazendo um rock cru, direto e sem frescuras, a Bang Bang Babies não nega as influências explícitas de garage rock, proto punk e surf music e até de bandas locais como MQN, Hang The Superstars e Mechanics.

Hélio Zancopé (bateria), Pedro (guitarra e voz), Vital (guitarra) e Pintim (baixo) se divertem bastante com seus shows garageiros, saem em jornais, na internet, em revistas... A banda ainda dá entrevistas para rádios, toca em outras cidades... No inicio de 2006, os quatro ficaram trancados no Estúdio Manicomial, de onde saiu o EP Bang Bang Babies, lançado pela Fósforo Records. O disco tem 5 músicas, como Going Down e O Homem não pisou na lua.

Contato: Vital – vitaljrm@hotmail.com / (62) 8438-5568

Serviço
Evento: Lançamento do 1º Festival Matéria-Prima
Data e horário: 06/03 (quinta-feira), a partir das 17h
Local: Campus Samambaia (Campus II) da UFG, Setor Itatiaia
Entrada franca

Contatos:
Túlio Moreira – (62) 9963-8604 / tuliomoreira27@gmail.com
Laila Melo – (62) 8473-7342 / lailameloimprensa@yahoo.com.br

Um comentário: