sexta-feira, 30 de maio de 2008

Arrigo Barnabé e Patife Band em Brasília


Saca só:

Show:

Arrigo Barnabé com Clara Crocodilo - suíte para 4 mãos - dia 31 , Sábado às 21h e domingo, 20h Entrada: R$ 20,00
Classificação etária: não recomendado para menores de 14 anos.

Arrigo Barnabé está de volta à Caixa Cultural e apresenta, ao lado do pianista Paulo Braga, o show “Clara Crocodilo - suíte para 4 mãos”. A abertura dos shows fica a cargo da Patife Band, liderada por Paulo Barnabé.

Caixa Cultural Brasília - Centro de Cultura SBS, Quadra 4 , Lote 3, 4 Setor Bancário Sul

Fone: (061) 3206-9450 / 3206-9448 / 3206-9449


Ouvir em:

http://www.myspace.com/arrigobarnabe


http://www.myspace.com/patifeband



Tomara que eu consiga ir!

quinta-feira, 29 de maio de 2008

no jornal Tribuna do Brasil


Matéria que saiu no jornal Tribuna do Brasil:



http://www.tribunadobrasil.com.br/?ntc=65045&ned=2330


Um sujeito tão normal
Autor: Henrique Bolgue




Os novos rumos da revelação goiana Diego de Moraes e o Sindicato



Os últimos meses foram cheios para Diego de Moraes. Ganhou concursos como o TacabocanoCD, que lhe rendeu a gravação do EP Reticências... e gravou 12 horas nos estúdios da Trama depois de ganhar o concurso da Capricho. Apareceu em revistas especializadas como a Rolling Stone e tocou recentemente na Virada Cultural paulistana, um evento que reuniu alguns de seus ídolos como Egberto Gismoti, Naná Vasconcelos e Os mutantes. Neste sábado, Diego de Moraes e o Sindicato é uma das bandas que fecham o dia no festival Bananada, em Goiânia.
Depois de aparecerem na Rolling Stone chegaram a propor uma mudança para São Paulo, mas Diego acha que ainda não é a hora e continua vivendo em Senador Canedo, cidade há 18km de Goiânia. Ali ele vive a "rotina de fritura" de um jovem normal. Com 22 anos está fazendo mestrado em história na Universidade Federal de Goiânia e se vê às voltas com a leitura de filósofos como Álvaro Vieira Pinto e o marxista heterodoxo João Bernardo.
Foi lá em Senador Canedo que Diego começou a se envolver com a música. Foi baterista de bandas punk e nas horas vagas dedilhava o violão enquanto escrevia poemas e histórias que viriam a ser grande parte das músicas do EP, que escreveu com 18 anos. Na época ele era fã de Beatles e Nirvana. Agora, depois de ser comparado a nomes como Arrigo Barnabé e Tom Zé começou a descobrir outros nomes da MPB. Walter Franco é um deles, uma espécie de ídolo inconsciente. "Soube depois, que (Walter Franco) foi influência pro Arnaldo Antunes - e eu já era apaixonado pela parte da obra dos Titãs, que conta com a poesia concreta do Arnaldo", conta.
Nada mais normal numa época de excesso de informação; ele mesmo já escreveu algo sobre esse caos na letra de Amigo: "Amigo, eu sempre tento ser um pouco diferente, mas eu me sinto tão igual." Diego, que já tem "uns cinco discos dentro da cabeça", foi tanto vítima quanto agente da internet. Sofreu com comentários maldosos quando apareceu na cena goiana, só com sua voz e violão. Mas também se beneficiou da disseminação de suas músicas, e cita o Vangart como exemplo de banda que sentiu o mesmo. Mesmo assim não deixa de lembrar o papel dos shows. "A internet divulga, mas o show convence mais", explica.
Para os novos trabalhos Diego quer aproveitar o amadurecimento que teve em conseqüência das andanças pelo Brasil. Mais do que as conversas com outros músicos e os novos horizontes que foram abertos, ele entrou em conflito com seu próprio modo de fazer música. Ele diz ser um desafio resumir sua explosão interior. "Tem muita música antiga que mais parece uma dissertação musicada, já as novas tem um cuidado maior não só com o conteúdo, mas também com a forma", explica.
A forma das músicas também é pensada nas experiências que faz com o Sindicato. Muitos dos rótulos que a banda recebe vêm da mistura que esses trabalhadores fazem lá atrás; recursos tecnológicos que Diego não tem acesso no seu "laboratório" privado. O sindicato é formado por Aderson Maia que cuida do contrabaixo, do teclado e do sintetizador; Gabriel Cruz na percussão, Eduardo Kolody nas guitarras, violão e viola, Danilo Teles na guitarra e contrabaixo e Rogério Pafa na bateria. Diego conheceu os componentes por uma amiga em comum da banda Demosonic e desde então vêm criando juntos, "Apresento uma composição que pari no meu quarto e vamos trabalhar os arranjos em conjunto, ou seja, criar em cima de uma criação", explica Diego.
O som indefinível da banda teve uma explicação dada pelo percussionista da banda, Gabriel. "Uma vez ele disse, entre nós, que o que a gente faz é algo como se o Geraldo Vandré aceitasse tocar com os Mutantes". Mesmo remetendo à época em que diversas utopias foram apresentadas, Diego não tem nada de utópico, como ele mesmo já disse. Sua música é mais voltada a temas universais, juvenis ou não. Quando perguntado sobre pelo que faz a música que faz ele diz: Faço pra continuar vivo e pra me sentir vivo. Por terapia, pra agüentar essa angústia que é viver nesse mundo caótico. Prefiro gastar dinheiro com corda pro violão do que com um psiquiatra", desabafa.
Diego é fruto de uma época em que se percebe a falência de projetos e visões políticas que levam mais à discórdia do que ao consenso. Ele vê uma saída para sua angústia: os sonhos. "Não existem grandes utopias, mas existem pequenos sonhos que alimentam minha vontade de mudança e a minha força de viver. Meu avô dizia: "O homem nasce, cresce, pára de sonhar e morre". Acho que ele morre ao parar de sonhar (e existem muitos moribundos caminhando aí pelas ruas..., não?)", finaliza.



Fonte : Tribuna do Brasil
Data : 23 de maio de 2008

terça-feira, 27 de maio de 2008

Com o pé no chão



Fotografia: Por Renato Reis



Sobre o Segundo Dia do Bananada saiu uma resenha no portal fora do eixo:
http://www.foradoeixo.org.br/noticia.php?id=221
que diz:

"Diego de Moraes (GO)
por Ney Hugo



Diego e Moraes não para de ascender, desde quando foi vencedor do Festival Tacabocanocd, em 2006. Depois disso, vieram apresentações no Goiania Noise, shows em Cuiabá e o histórico show da Virada Cultural Paulistana (cobertura disponivel aqui no Portal na sessão "mais notícias"). O show do Bananada 2008 foi como o esperado. Lotado, publico e banda em transe (Diego chegou a estar com a boca sangrando, devido a uma pancada involuntária) e musica de alta qualidade (o sindicatto inclui membros da Orquestra Abstrata / Seven, uma das boas bandas instrumentais do cenário independente). Certamente Diego será um dos representantes da região centro oeste ("cuiabano de Goiás", como o mesmo gosta de dizer) em vários próximos festivais do circuito."




E saiu outra resenha no:

http://www.dosol.com.br/2008/05/26/como-foi-bananada-segundo-dia/


que, sobre nós, comenta:


"Diego de Moraes e o Sindicato ganharam a platéia com músicas que tem um pé no rock, um no folk e um no brega. Três pés? Se o próprio Diego assume que faz música para gente esquisita e não para roda de violão ou para tocar no elevador, por que não? No meio do show, Diego foi deixado sozinho no palco para executar uma música só com voz e violão, acompanhado de um convidado, que cantava apenas um “û-tererê, û-tererê” no refrão. Depois os integrantes do Sindicato vieram do meio do público tocando instrumentos de percussão, e assim começava “Amigo”. No final, Diego se atirou no público, voltou ao palco, subiu no bumbo da bateria. Estava visivelmente mais do que satisfeito com o show que acabara de fazer. E o público estava mais de satisfeito com o que acabara de assistir."



Achei maravilhosa a definição: "um pé no rock, um no folk e um no brega". Bão que não tá com um pé num lugar só, mas vai em várias direções.

Mas, o que eu quero mesmo é:


manter o pé no chão...

José Teles e Fernando Simplista


Até o fim da semana escrevo, com calma, o que foi pra mim a experiência de tocar no Bananada esse ano...


Por enquanto, vai aí a divulgação dos meus brothers José Teles e Fernando Simplista, hoje no Chop 10 (projeto Terça Maior).

Pocket Show de José Teles e Fernando Simplista apresentando canções próprias. Contando com a participação especial de Dênio de Paula.

Chopp 10. Dia 27. às 21 hs.





Música de qualidade e com emoção!

quarta-feira, 21 de maio de 2008

FESTA PRÉ-BANANADA NO REPÚBLICA



Olhaí...
pra quem estiver em Goiânia no feriado de bobeira:



FESTA PRÉ-BANANADA NO REPÚBLICA
Dia 22 de maio , quinta-feira , vai rolar no REPÚBLICA a pré-festa do BANANADA .
Serão tres bandas de fora SURPRESA , teremos na nossa mini-boate , revezando com os tres shows , discotecagem de djs que vão aquecer mais ainda a festa .
Mas atenção , serão disponibilizados apenas 80 ingressos ao preço de 10 reais e comprando o ingresso antecipado ganha uma cerva de brinde pra começar a brincadeira . Serão só 80 ingressos pois o local é pequeno , entao compre o seu antecipadamente .
Os ingressos estarão disponíveis a partir de sábado , dia 17 de maio ,no REPÚBLICA que fica na Alameda Botafogo 428 Centro , fone 32133216
Colocaremos mais informações e o flyer em breve .
Os dez primeiros que comprarem , a partir de agora , o passaporte pro BANANADA na loja da Monstro (32815358) ganha a entrada pra PRÉ-FESTA na faixa . Moleza hein !

domingo, 18 de maio de 2008

Evaldo Braga







Domingo passado: dia das mães.
No dia: não dei nenhum presente pra minha mãe, pois quebrado (pra variar...) e só receberia uns trocados na segunda.
Na terça fui num sebo (Opção Cultural, na Goiás, em Goiânia) e comecei a papear com o Daia, meu brother lá, sobre o livro "Eu Não sou cachorro não" , sobre música popular cafona e ditadura militar no Brasil. Falei que fazia um tempo que um livro não me "pegava" assim, pois sou muito inquieto e leio vários ao mesmo tempo, que esse li 300 páginas em 2 dias, que o livro é impressionante e etc. e tal. (Depois quero escrever algo sobre esse livro)
Daí ele foi e me mostrou um cd duplo do Evaldo Braga (Estava em dúvida entre: Elviz Costelo, Nelson Ned, Evaldo Braga ou Frank Zappa). Comprei o Evaldo, pra conhecê-lo. Na quarta de manhã, quando coloquei o cd, que começa com a música "Sorria!", minha mãe começou a chorar, pois disse que foi uma das músicas que marcou sua vida e que era muito fã do Evaldo Braga e tal. Fiquei impressionado, pois ela não tinha visto a capa do cd, lembrava o nome de memória. Dei o cd de presente e minha mãe disse que foi o melhor presente que eu poderia ter dado pra ela.

No youtube tem um documentário sobre ele "Evaldo Braga - O Ídolo Negro":

http://br.youtube.com/watch?v=sv3Ie778Djk

Na wikipedia vem o seguinte texto sobre a vida trágica do cantor:

"Evaldo Braga não teve pais conhecidos, tendo sido criado num orfanato fluminense, juntamente com o ex-jogador de futebol Dadá Maravilha. Sua mãe, uma prostituta da cidade de Campos, o abandonou numa lata de lixo. Foi nela que se inspirou para compor seu maior sucesso, "Eu Não Sou Lixo". Boêmio, alcoólico, morreu num acidente automobilístico na BR-03 (Rio-Bahia), após tentativa de ultrapassagem forçada segundo populares. Importante ressaltar que no momento do acidente Evaldo Braga não dirigia o carro, e sim seu motorista. Seu túmulo é um dos mais visitados pelos fãs no feriado de Finados no Cemitério do Caju, Rio de Janeiro.

Trabalhou por muito tempo como engraxate, nas portas de rádios e gravadoras. Foi com o emprego que conheceu diversos artistas, tal como Nilton César, que ofereceu a primeira chance de emprego no meio artístico, como seu divulgador. Foi como divulgador que conheceu Edson Wander e apareceu pela primeira vez no ramo musical, compondo "Areia no meu Caminho" juntamente com Reginaldo José Ulisses. A música foi gravada pelo cantor Edson Wander em seu primeiro disco, "Canto ao Canto de Edson Wander", no ano de 1968, e estourou nas paradas brasileiras, chegando a superar artistas do porte de Roberto Carlos. Com isso conheceu o produtor e compositor Osmar Navarro, que o convidou para gravar um disco na gravadora Polydor. Posteriormente teve músicas gravadas por Paulo Sérgio, um dos artistas que muito o ajudou no mercado musical.

Na música celebrizou-se no ano de 1969, no estilo "dor-de-cotovelo", em parcerias com compositores como Carmem Lúcia, Pantera, Isaías Souza e outros. Apresentava-se com freqüência no programa a Discoteca do Chacrinha. Seus maiores sucessos foram "Eu Não Sou Lixo", "Nunca Mais", "A Cruz que Carrego", "Mentira", "Sorria, Sorria", entre outros."



Emocionante...

Fiquei fã!

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Myspace do The Cretinos!!!!!!!!!!!!

Até que enfim o The Cretinos, banda de Senador Canedo, fez um myspace:
Escuta lá:

http://www.myspace.com/thecretinos

A nova música (Memórias) é linda!!!!! A escutei no último domingo (11/05) e foi emocionante!

The Cretinos é um exemplo de trabalho autoral em Senador Canedo e de qualidade!

Participei da primeira formação dessa banda, tocando bateria. E fico contente que fui "substituido" por alguem melhor que eu na batera...
minha maninha , Fernanda.. hehehehe


Parabéns aí, Erick Cretino pelas composições e à toda a banda!!!

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Filhos de Maria na Semana Magnifica Mundi da Comunicação


http://www.facomb.ufg.br/magnifica


Semana Magnifica Mundi da Comunicação

Com o tema "Comunicação, democracia e novas tecnologias", o evento irá discutir os 200 anos de história da imprensa no Brasil e comemorar os 40 anos do curso de Jornalismo da UFG.


A Faculdade de Comunicação e Biblioteconomia (Facomb) da Universidade Federal de Goiás (UFG) receberá, entre os dias 12 e 16 de maio, atividades acadêmicas e culturais em comemoração aos 200 anos de imprensa no Brasil e 40 anos do curso de Jornalismo da UFG. A programação terá mesas-redondas com participação de professores da UFG e de outras instituições como Universidade de Campinas (Unicamp), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal da Bahia (UFBA), além de profissionais do mercado goiano.

A conferência de abertura será proferida pelo professor Sérgio Mattos, da UFBA, e tratará das perspectivas históricas dos 200 anos de implantação da imprensa no Brasil e dos novos cenários. Em toda a programação, serão tratados temas como Jornalismo Ambiental, Jornalismo Literário, Novas Tecnologias e Democratização da Comunicação. Haverá, ainda, mostra de filmes, apresentações culturais, oficinas, minicursos, debates e uma festa de encerramento.


Programação:

Segunda-feira (12/05)

8h-8h30: Abertura Solene
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

8h30-9h: Café da manhã
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

9h-11h30: Conferência de Abertura – 200 anos de implantação da imprensa no Brasil: Perspectivas Históricas e novos cenários.
Conferencista: Prof. Dr. Sérgio Mattos (UFBA)
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

11h30-12h: Apresentação Cultural
Local: Palco Livraria UFG

12h-14h: Intervalo

14h-17h: Oficinas e mini-cursos
Local: FACOMB
Mostra de filmes UEG
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras
Mostra Perro Loco
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

Terça-feira (13/05)

8h-8h40: Apresentação do Portal de Notícias da FACOMB pela professora Angelita Lima.

8h40-11h30: Mesa redonda – Jornalismo Literário
Debatedores: Prof. Dr. Felipe Pena (UFF)
Prof. Dr. Goiamérico Felício (FACOMB-UFG)
Prof. Msc. Angelita Lima (FACOMB-UFG)
Jornalista Rodrigo Alves (Jornal O Popular)
Mediadora: Ana Lúcia Nunes (Acadêmica do curso de Jornalismo – UFG)
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

11h30-12h: Apresentação Cultural
Local: Palco Livraria UFG

12h-14h: Intervalo

14h-17h: Oficinas e mini-cursos
Local: FACOMB
Mostra de filmes UEG
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras
Mostra Perro Loco
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

Quarta-feira (14/05)

8h-11h30: Mesa redonda – As novas tecnologias e a democratização da informação
Debatedores: Henrique Parra (Pesquisador UNICAMP)
Prof. Nilton José dos Reis Rocha (FACOMB – UFG)
Prof.ª Dr.ª Suely Aquino (FACOMB – UFG)
Prof.ª Dr..ª Patrícia Saldanha (Universidade Estácio de Sá / UFRJ - LECC)
Virgílio Alencar (Pontão de Cultura República do Cerrado)
Renato Cirino (Magnífica Mundi)
Mediadora: Katiéllen Bonfanti (Acadêmica do curso de Jornalismo – UFG)
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

11h30-12h: Apresentação Cultural
Local: Palco Livraria UFG

12h-14h: Intervalo

14-17h: Discussão Publicidade Comunitária com a Prof.ª Dr.ª Patrícia Saldanha (Universidade Estácio de Sá / UFRJ - LECC)

14h-17h: Oficinas e mini-cursos
Local: FACOMB
Mostra de filmes UEG
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras
Mostra Perro Loco
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

Quinta-feira (15/05)

8h-11h30: Mesa redonda – História da Imprensa em Goiás
Debatedores: Prof.ª Msc. Rosana Borges (FACOMB – UFG)
Jornalista Luiz Spada (Jornal O Popular)
Jornalista Reinaldo Rocha (Televisão Brasil Central)
Jornalista Roberto Nunes (Rádio Universitária – UFG)
Mediadora: Prof.ª Dr.ª Ana Carolina Rocha Temer (FACOMB – UFG)
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

11h30-12h: Apresentação Cultural
Local: Palco Livraria UFG

12h-14h: Intervalo

14h-17h: Oficinas e mini-cursos
Local: FACOMB
Mostra de filmes UEG
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras
Mostra Perro Loco
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

Sexta-feira (16/05)

8h-9h40: Mesa redonda – Jornalismo Ambiental
Debatedores: Jornalista Washington Novaes
Prof.ª Msc.ª Lisbeth Oliveira (FACOMB – UFG)
Mediadora: Lorena Rodrigues (Acadêmica do curso de Jornalismo - UFG)
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

10h-11h30: Mesa redonda – Gêneros Jornalísticos e Jornalismo Político
Debatedores: Prof.ª Dr.ª Ana Carolina Rocha Temer (FACOMB – UFG)
Prof. Dr. Luiz Signates (FACOMB – UFG)
Mediadora: Maiara Dourado (Acadêmica do curso de Jornalismo – UFG)
Local: Cine UFG – Faculdade de Letras

11h30-12h: Apresentação Cultural
Local: Palco Livraria UFG

12h-14h: Intervalo

14h-17h: Oficinas e mini-cursos
Local: FACOMB


19h: Festa de Encerramento em conjunto com festa da Biologia Mara Cangalha
Shows: Filhos de Maria
Lestrade
GO-zero Matozo
Vida Seca

Discotecagem: Tell me and Sell me

Pedro
Local: DCE – UFG

Ingresso na hora R$ 7,00. Com nome na lista na comunidade da FACOMB no Orkut R$ 5,00.

*Programação Sujeita a alteração.


Oficinas e mini-cursos na FACOMB:
Trasmissão – 5 vagas
Data: 13 e 14/05 (terça-feira e quarta-feira)
Horário: 14h às 17h
Oficineiros: Ícaro Batista e Pedro Ivo Freire (FACOMB)

Animação – 20 vagas
Data: 15 e 16/05 (quinta-feira e sexta-feira)
Horário: 14h às 17h
Oficineiro: Dustan Oeven (FACOMB)
Material: massa de modelar (caixa com 12, marca Acrillex)

Fotografia Digital - 10 vagas
Data: 12, 13, 14 e 15/05 (segunda-feira a quinta-feira)
Horário: 14h às 17h
Oficineira: Maria Cardoso (UEG)
Material: máquinas digitais compactas ou não

Produção Audiovisual em mídias portáteis – 20 vagas
Data: 13, 14 e 15/05 (terça-feira a quinta-feira)
Horário: 14h às 17h
Oficineiros: Erasmo Alcântara e Joelma Paes (Fractal Filmes)
Material: Celulares com câmera

Estilo e Gravura – 10 vagas
Data: 13 e 15/05 (terça-feira e quinta-feira)
Horário: 14h às 17h
Oficineira: Alice Nascimento (FAV - UFG)
Material: 3 borrachas escolares retangulares comuns ou bandejas de isopor; folhas de papel para desenho artístico (canson e cartolina); 1 ou mais tintas a escolher (tinta para carimbo, nanquim, xadrez, pincel atômico, guache ou acrílica); pincel ou rolo para pintura; 1 estilete.

Cultura, Hegemonias e Mobilização Popular – 20 vagas
Data: 12/05 (segunda-feira)
Horário: 14h às 18h
Oficineira: Riva Kran (FACOMB)

Técnica de rádio – 15 vagas
Data: 13 e 15/05 (terça-feira e quinta-feira)
Horário: 14h às 17h
Oficineiro: Centro de Mídia Independente – CMI

Roteiro – 20 vagas
Data: 13/05 (terça-feira)
Horário: 14h às 17h

Ministrante: Tatiana Carilly (FACOMB)
Produção Audiovisual – 20 vagas
Data: 13/05 e 15/05 (terça-feira e quinta-feira)
Horário: 14h às 17h
Oficineiras: Lorena Soares e Gabriela Marques (FACOMB)

Informações: Gabriela Marques – (62) 9907-0057
Maiara Dourado – (62) 9135-0397

terça-feira, 6 de maio de 2008

Bananada 2008



Ainda tô aqui tentando digerir, na minha mente, tudo o que vi em São Paulo (Tom Zé, Gal Costa, Som Nosso de Cada Dia, Zimbo Trio, Porcas Borboletas, etc. etc. etc.), na Virada Cultural. E nosso show, que fui o único do Sindicato que fez "Virado na Virada", enquanto todos os integrantes cochilaram antes do show (ás 9 da matina): eu fui o que ficou a madrugada, solitário, perambulando perdido no meio da multidão.
No mais: foi muito intenso tudo e lembro que dediquei o show para os mendigos presentes (Sério! Não é ironia! Foi emocionante... continuo achando que a vitória está nos detalhes)
e teve o show no Canedo, que foi divertido, embora estivéssemos cansados da viagem, mas acho que não prejudicou no momento de troca de energia...
Além disso: foi super-massa tocar batera no Leigos novamente, depois de 5 anos.
Esse evento no Canedo foi surpreendente, pois, quando tocava bateria na Nóia Catódica há 7 anos atrás, não imaginaria que poderia ter um evento dessa proporção e de rock aqui.
Enquanto isso, recebo a confirmação que tocaremos no Bananada esse ano e em um horário bacana.
É.
A luta continua
pelo menos por enquanto

Abraços!


BANANADA 2008 - PROGRAMA OFICIAL - SHOWS
sexta-feira (23/05)

01h30 Mandatory Suicide (GO)
01h00 Johnny Suxxx & The Fuckin' Boys (GO)
00h30 Mechanics (GO)
00h00 Are You God? (SP)
23h30 Sapobanjo (SP)
23h00 Identidade (RS)
22h30 Curumim (SP)
22h00 Inbleeding (GO)
21h30 Jonas Sá (RJ)
21h00 Fim do Silêncio (SP)
20h30 Goldfish Memories (GO)
20h00 The Melt (MT)
19h40 Mugo (GO)
19h20 Bad Lucky Charmers (GO)

sábado (24/05)
01h30 Violins (GO)
01h00 Diego de Moraes e o Sindicato (GO)
00h30 Motherfish (GO)
00h00 Do Amor (RJ)
23h30 Mallu Magalhães (SP)
23h00 Cérebro Eletrônico (SP)
22h30 Sweet Fanny Adams (PE)
22h00 Black Drawing Chalks (GO)
21h30 Chimpanzé Club Trio (SP)
21h00 Bang Bang Babies (GO)
20h30 Abesta (SC)
20h00 Filhos de Empregada (PA)
19h40 Abluesados (GO)
19h20 Gloom (GO)

domingo (25/05)
00h30 A banda da Eline (GO)
00h00 Necropsy Room (GO)
23h30 MQN (GO)
23h00 m.takara 3 (SP)
22h30 O Lendário Chucrobillyman (PR)
22h00 A Grande Trepada (RJ)
21h30 Amp (PE)
21h00 Shakemakers (GO)
20h30 Bad Folks (PR)
20h00 Orquestra Abstrata / Seven (GO)
19h30 Big Nitrons (Santos - SP)
19h00 FireFriend (DF / SP)
18h40 The Backbiters (GO)
18h20 Sweet Racers (GO)

www.myspace.com/bananada