quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Algumas das últimas notícias

Passou matéria sobre o Vaca Amarela na Mtv (e passa um trecho do show dos Filhos de Maria e Madalena):

http://blip.tv/file/1249695

E no último dia 08 saiu matéria no programa Radiola da TV CUltura sobre o Móveis Convida que participamos:

http://www.youtube.com/watch?v=GMgl-3No8Hk&feature=user


e...hOje no Diário da Manhã saiu uma nota sobre a indicação da gente, do Sindicato, ao Prêmio Dynamite:




Na sexta (dia 05) saiu uma matéria sobre o Vaca no O Popular e essa no Diário da Manhã também:



NO O Popular saiu essa matéria:

Link:
http://www.goiasnet.com/musica/cul_report.php?IDP=8889

04/09/2008 | 22:38 [voltar]
Festival Vaca Amarela não quer ser apenas rock
O Popular

Wander Wildner: “punk brega” na primeira noite do festival

Edson Wander

Um dos filhotes dos festivais da Monstro (Bananada e Goiânia Noise), o Vaca Amarela é o que mais cresceu na capital. Cresceu apostando na diversificação musical e não só roqueira. Sua sétima edição neste fim de semana será a maior de sua curta história e de programação mais elástica, com artistas de fora da cena roqueira fechando as duas noites, sexta e sábado, no Centro Cultural Martim Cererê. Entre os convidados a fechar uma das noites está o guitarrista Lanny Gordin, músico que acompanhou grandes nomes da MPB e que voltou à ativa depois de duas décadas de ostracismo.

Em meio às 36 atrações do festival, a produtora Fósforo Cultural organizou um palco exclusivo para a música popular brasileira, onde se apresentarão grupos que se dedicam ao gênero conhecido pela sigla MPB e o Alma Brasileira, grupo de chorinho capitaneado por Oscar Wilde. O rap também terá vez no festival.

Nesta sexta terá o mato-grossense Linha Dura, um projeto do rapper Paulo Fagner com o DJ Taba que em Cuiabá costuma contar com o reforço da banda Macaco Bong. Mas no Vaca Amarela, Fagner e Taba contarão apenas com o apoio de um baterista para soltar a rima sobre diferentes temas afeitos ao hip hop mas também à cultura cuiabana. O Linha Dura deve mostrar as músicas de seu novo CD, O Caminho da Resistência (Tchapa e Cruz).

Sábado é o rap goiano que dá as cartas no gênero com MC Dyskreto. Depois de lançar um disco (Mix Tape 3) distribuído em escolas públicas de Goiânia (pelo caráter de defesa da criança e do adolescente das letras), Dyskreto tem trabalhado no projeto Brasilidade, que consiste em fundir a música brasileira na batida do rap.

Abertura
A abertura do festival nesta sexta destacará a banda goiana Diego de Moraes e o Sindicato, os cariocas do Autoramas e o gaúcho “punk brega” Wander Wildner. Antes deles, 13 bandas de vários Estados (uma, Vudú, da Argentina) se revezam nos dois palcos fechados do Cererê e mais duas no Palco Música Brasileira,na área externa do centro cultural.

Diego de Moraes e o Sindicato é o projeto do cantor e compositor Diego de Moraes que virou banda. Com um combinação de música brasileira e pitadas de folk rock, Diego tem sido associado a Raul Seixas (1945-1989). A banda lançou no ano passado um EP, Reticências, com as composições que já vinha destacando em festivais do circuito independente de Goiás e outros Estados.

As outras duas atrações principais da noite (confira programação no quadro) são figuras bem conhecidas da cena musical indie. Wander Wildner está lançado La Canción Inesperada, nova compilação de canções de um rock iconoclasta, em que cabe de tudo um pouco, mas preferencialmente uma conjunção de Ramones com Waldick Soriano (morto ontem aos 75 anos).


Não à toa, o próprio Wildner diz que faz “punk brega”. Fechando a primeira noite do Vaca Amarela, ele “y sus comancheros” devem recuperar outras faixas da carreira, algumas hinos da cena alternativa, como Bebendo Vinho (já gravada pelo Ira!), Amigo Punk e Eu Acredito em Milagres.

A banda Autoramas deve mostrar faixas da carreira e de seu último disco, Teletransporte, lançado pelo selo Mondo 77 . Com 14 novas faixas, o disco foi produzido por Kassin e Berna Ceppas, mas manteve a pegada de surf rock de guitarras ágeis e sujas em uma conjunção de melodia retrô e vocais derramados. A Autoramas nasceu há 11 anos do encontro de músicos conhecidos da cena roqueira da alternativa. Com Gabriel Thomaz (guitarra e voz) à frente e Bacalhau (bateria), o grupo sempre teve mulheres no baixo (agora Flávia Couri).

Sábado, o fechamento terá uma lenda da guitarra brasileira, Lanny Gordin (leia abaixo), mais o quarteto paulista Forgotten Boys e os goianos da Technicolor. Quinteto que destaca duas guitarras e a cantora e flautista Sarah Alencar, a Technicolor foi formada em 2004. No ano seguinte lançou pelo selo Be Acid o EP Madagandanzza, com quatro faixas cantadas em inglês.

Para o festival, o grupo deve fazer uma prévia de seu primeiro CD cheio, Cleviceps Purpurea. Quem também vem de disco novo para o festival é a Forgotten Boys, com Louva-a-Deus, que chega ao mercado como CD na próxima semana, mas já pode ser ouvido na íntegra pela internet (no site Myspace). Produzido por Apollo 9 e Roy Cicala, o CD é de novo uma deferência de Zé Mazzei, Flávio Cavichioli, Chuck Hipolitho e Gustavo Riviera ao punk rock à moda de Ramones e Stooges.

PROGRAMAÇÃO

SEXTA-FEIRA (05)
18h30 - Madame Butterfly e o Burlesco
19h00 - Phantoche (Pirenópolis-GO)
19h30 - Gloom
20h00 - Juana Barbera (MG)
20h30 - WC Masculino
21h00 - Goldfish Memories
21h30 - Mezatrio (AM)
22h00 - Porcas Borboletas (MG)
22h30 - Rollin’ Chamas
23h00 - Mugo
23h30 - Daniel Belleza e os Corações em Fúria (SP)
00h00 - Black Drawing Chalks
00h30 - Linha Dura (MT)
01h00 - Diego de Moraes e o Sindicato
01h30 - Autoramas (RJ)
02h15 - Wander Wildner (RS)

Palco Música Brasileira
20h00 - Vida Seca
21h00 - Filhos de Maria e Madalena

SÁBADO (06)
18h30 - Johnny Alfredo e seus Neurônios Mongóis
19h00 - Descuido Zero (Catalão-GO)
19h30 - Baba de Mumm-rá (TO)
20h00 - Hey Hey Hey (RO)
20h30 - Perfect Violence
21h00 - Toró de Palpite (DF)
21h30 - Terra Celta (PR)
22h00 - Yglo
22h30 - MC Dyskreto
23h00 - Devotos NSA (SP)
23h30 - Cabaret (RJ)
00h00 - Orquestra Abstrata
00h30 - Vudú (Argentina)
01h00 - Technicolor
01h30 - Lanny Gordin (SP)
02h15 - Forgotten Boys (SP)

Palco Música Brasileira
20h00 - Cega Machado
21h00 - Alma Brasileira

Evento: Festival Vaca Amarela
Data: Sexta-feira (05) e sábado (06), a partir das 18h30
Local: Centro Cultural Martim Cererê (Rua 94-A, St. Sul)
Ingressos: R$ 20 (por noite) e R$ 30 (passaporte para as duas noites)
Postos de venda: lojas Ambiente Skate Shop e Hocus Pocus
Classificação etária: 16 anos
Mais informações: www.fosforocultural.com.br
Ah! Na última quinta-feira arrumando meu quarto encontrei uma letra que eu nem lembrava mais. A noite no ensaio tocamos ela pela primeira vez e já metemos ela no show de sexta no Vaca.
Depois do show eu estava destruído sentado num canto (depois de fazer meu primeiro show pedalando) e uma menina viu que a letra foi escrita no dia do aniversário dela (e que foi a música que ela mais gostou):
"Vê se me esquece"


Um comentário:

Day disse...

ELA É UMA MOCINHA ESPECIAL.