sábado, 14 de março de 2009

"Um livro de poesia na gaveta não adianta nada"

Hoje é o "Dia da Poesia" - homenagem ao Castro Alves.

Recebi esta semana a notícia bacanérrima de uma turnê literária, iniciativa firmêza do Danislau do Porcas, TURNÊ PELE DO ASFALTO, que conta até com a participação do Chacal, expoente da poesia marginal dos anos 70:




como cantou o Sérgio Sampaio, outro marginal dos 70 (que novamente nos visita nesse espaço...):



Cada Lugar Na Sua Coisa

Composição: Sérgio Sampaio

Um livro de poesia na gaveta não adianta nada
Lugar de poesia é na calçada
Lugar de quadro é na exposição
Lugar de música é no rádio

Ator se vê no palco e na televisão
O peixe é no mar
Lugar de samba enredo é no asfalto
Lugar de samba enredo é no asfalto

Aonde vai o pé arrasta o salto,
Lugar de samba enredo é no asfato
Aonde a pé vai se gasta a sola
Lugar de samba enredo é na escola





************************************


E por falar no meu brother Danislau Também... leio um poema da pág. 43 de seu livro "O herói hesitante: autobiografia de um anônimo", que transcrevo aqui:




SOBRE O AMOR
PREENCHA AS LACUNAS



O bom de namorar é que quando vem o frio tem um pezinho pra esquentar o meu e meu pezinho tem um pezinho pra esquentar o dela.

Sobre namorar, o ruim é que quando quero ficar sozinho e ouvir um bom jazz no fone de ouvido o telefone toca. E o jazz, o fone, o fumo e eu temos que ficar pra depois.

Sobre ficar, eu penso que a nudez é uma questão de tempo. E que o corpo é uma questão de espaço.

Sobre o beijo, eu penso que são páginas e páginas para uma única palavra. Duas línguas: ora sim, ora não, ora não, ora sim, ora sim, ora são, ora sim-oração.

Sobre o amor, eu acredito que seja a ruína deliciosa de um homem.

Sobre a paixão, o ruim é que dá uma vontade danada de beber.

Sinto-me feliz quando o mundo me sorri.

Sinto-me triste quando quando se confunde com enquanto.

2 comentários:

cigarra disse...

lugar de poesia, de música, de quadro, de samba-enredo e de tudo é no asfalto.

cigarra disse...

o nome da pessoa é salma, da consciência eu não sei...