segunda-feira, 7 de março de 2011

Em Síntese (Diego e Simplista)

dois amigos
um sábado qualquer
uma tarde informal
um violão
(mais um momento único captado por @ksnirbaks )

Em Síntese
(Diego de Moraes)

o tempo todo tento
todo o tempo, atento
calado sinto, quem cala consente
ando pensando, penso andando
vou com calma
em síntese
não sei resumir

e quanto mais conheço
menos me entendo
não compreendo bem porque te quero bem
e vão dizer que vou em vão,
mas vou com alma
em síntese
não sei resumir

vou,
mas continuo
vivo
na sua memória
embora
embora
embora longe, embora torto, embora triste, embora morto, embora fraco e tão covarde
e sem saída
a cem por hora
por ora é só
agora a pouco
por pouco o fim
retornei

ando pensando, penso andando vou com calma
e vão dizer que vou em vão, mas vou com alma

em síntese
não sei resumir

Um comentário:

Dariane Daniela disse...

Embora os mais malas considerem aliterações e demais figuras de linguagem um mero exibicionismo, eu penso diferente e confesso que adorei, tanto música como a letra.

Continue assim, com seu trabalho criativo e seus trocadilhos espertos. e falando em trocadilhos, por muito menos Humberto Gessinger e Arnaldo Antunes são achincalhados pela crítica "especializada", que na minha opinião, de "especial" não tem nada. Portanto, continue assim e bom trabalho.