segunda-feira, 1 de junho de 2009

Os "Trilhos Sonoros" de Kleuber Garcêz




Há uma semana atrás assisti ao show da Minadágua, no Projeto Segunda Aberta do Goiânia Ouro.
Privilegiando as canções do compositor Kleuber Garcêz, a Minadágua tem um som que remete aos recantos do Brasil.
Garcêz tece seus versos em melodias
e a Minadágua acontece
em um belo momento.
Algumas músicas em:
http://clubecaiubi.ning.com/profile/kleuberdivinogarcez


Assistindo o show passa um filme brasileiro, dos bons, na minha mente. Uma excelente trilha sonora pra Graciliano, Guimarães Rosa, Cora Coralina, Bernardo Élis e o grande Euclides da Cunha (que se foi, desse plano, há 100 anos...).
O som é um tipo de regionalismo sofisticado e inspirado, feito por quem gosta do que faz e sabe o que está fazendo.
Sabe que "é coisa de poeta nadar na contramão"

É um som local, regional, e, por isso, por ser singular, universal.
Refrões com belas melodias, como:

"Moro na roça
Nunca morei na cidade
Compro o jornal da manhã
Pra saber das novidade"


Entre as várias canções, tocaram "Voz de todas as línguas" (que foi gravada pela Cláudia Vieira), "O Fio da meada" (vencedora do Festival do Sesi de 2007), "Eu vou navegar" (gostoso de escutar!).
Camila/ksnirbaks gosta da frase:

"Sua fé é batizada, mas a minha é pagã."



A banda conta com Kleuber no violão, Diego Cruvinel na viola e percussões, Ricardo Roqueto na percussão e Clécia Santana nos vocais. Nessa apresentação tiveram a participação dos amigos: Cleber Carvalho na cuíca, Jeferson Leite na rabeca, Hermes na flauta e Tucum na percussão.

A força da percussão combinada com a sutileza da flauta e a rabeca criativa do Jefferson dão o tom de "estrada", de "poeira". Ainda farei um filme que terá isso na trilha!

Tocam o clássico "Trenzinho do caipira" de Ferreira Gullar e Heitor Villa-Lobos.
Depois vem a primeira parceria de Kleuber com Anthony Brito (do Triêro), que é a linda "Baião de Dois"...
A solidão é sólida e os versos de Kleuber também!

Logo vem a última música "Mais um" (que foi a primeira de Kleuber que ouvi, e me identifiquei, lá pelos idos de 2006, quando iniciamos nossa amizade no Festival do Sesi).
Kleuber é mais que "mais um". É um espírito livre, um pesquisador independente, um artesão da canção, um observador do mundo. Quando ouço "Mais Um", me identifico, pois também me sinto...

Mais Um
Tirando leite de pedra
nadando contra a corrente
querendo fugir do lugar comum



Acabam o show e gritamos: "Mais um! Mais um! Mais um!"
E no bis vem "Vendedor de Sonhos", com sua leveza melódica:

"Vem
Vendo sonhos
Quem vai querer?
Vendo rimas de bem-me-quer
e me pague quando puder"


Fico feliz ao ver que "Mínadágua brotou!".
Agora esperamos esse material no myspace e no youtube da vida...

"Já é. É Nóis!"



O interior é que é o centro.

Ontem, eu e Camila, visitamos o Kleuber, que é uma de minhas parcerias mais frutíferas. Até contei pra ele que me impressiona os labirintos que ele cria nas suas músicas. E, no meio da nossa conversa desordenada, ele me contou de uma idéia interessante que o Juraildes da Cruz disse em um de seus shows:


"Vocês acham que o interior é o que está distante.
Mas o Interior é que é o centro.
Interior é o que está dentro
e todo o resto é o que está de fora"


4 comentários:

vida disse...

Botei mó fé nessa do Juraildes, o interior é nossa essência, que os urbanoides tem perdido olhando pros EUA, pra Inglaterra, cantando em inglês macarronico. Que saibamos olhar para nosso interior, para assim transbordarmos para todos os lados. Roqueto

MINADAGUA disse...

poxa diego, voce pega pesado!
e as crias, nossas parcerias só aumentando.
abraços.

Mari Magri disse...

"é coisa de poeta nadar na contramão"
..."as novas estradas sempre se fizeram na contramão".È coisa de poeta futurista que sempre È presente,e se firmou no passado.
Di, tava tentando lembrar da música que tem pão e poesia tua e do Kleuber.
bye!!

cigarra disse...

"todo compositor brasileiro é um complexado. Por que então esta mania danada, esta preocupação, defalar tão sério, de parecer tão sério ...?"

Cuidado com a seriedade da contramão.